DEUS capacita os escolhidos

27/12/2012

DEUS capacita os escolhidos

Conta certa lenda, que estavam duas crianças patinando num lago congelado.

Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam despreocupadas.

De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou.

A outra, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e libertar o amigo.

Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:

– Como você conseguiu fazer isso?

É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!

Nesse instante, um ancião que passava pelo local, comentou:

– Eu sei como ele conseguiu.

Todos perguntaram:

– Pode nos dizer como?

– É simples – respondeu o velho.

– Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz.

 

“Deus nos fez perfeitos e não escolhe os capacitados, CAPACITA OS ESCOLHIDOS.”

Fazer ou não fazer algo só depende de nossa vontade e perseverança.

Mt 22:14 – Porque muitos são chamados. MAS POUCOS OS ESCOLHIDOS.

Confie… 

As coisas acontecem na hora certa. Exatamente quando devem acontecer! 

Momentos felizes, louve a Deus. 
Momentos difíceis, busque a Deus. 
Momentos silenciosos, adore a Deus. 
Momentos dolorosos, confie em Deus. 
Cada momento, agradeça a Deus.  

Antiga Parábola Indígena Maia

05/08/2012

Antiga Parábola Indígena Maia

E um homem estava sentado sozinho assolado pela tristeza e todos os animais chegaram perto dele e disseram:

” – Não gostamos de vê-lo tão triste, peça o que quiser e você o terá.”

O homem disse:

” – Quero ter a vista boa.”

O falcão respondeu:

” – Você terá a minha.”

O homem disse:

” – Quero ser forte.”

O Jaguar respondeu:

” – Você será forte como eu.”

Então o homem disse:

” – Há muito tempo quero saber os segredos da terra.”

A serpente respondeu:

” – Eu os mostrarei a você.”

E assim foi com todos os animais. E quando o homem recebeu todos os dons, ele foi embora.

Então a coruja disse para os outros animais:

” – Agora que o homem sabe muito e pode fazer muitas coisas de repente eu fiquei com medo.”

O Cervo disse:

” – O homem tem tudo que precisa, agora sua tristeza findará.”

Mas a coruja respondeu:

” – Não! Eu vi um vazio no homem, profundo como a fome que ele nunca saciará. É isso que o deixa triste e o que o faz querer sempre mais. Ele continuará tomando até o dia em que o mundo dirá: ‘ – Eu não existo mais e não sobrou nada para dar’.”

 

A raposa e a criança

20/04/2013

A raposa e a criança

Sobre a retidão de caráter

raposa e a crianca 01

Existia um lenhador que acordava entre cinco e seis da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha, e só parava tarde da noite. Esse lenhador tinha uma linda filhinha Ágatha, de 6 anos e uma raposa, sua amiga, a qual tratava como bicho de estimação e era de sua total confiança. Todos os dias o lenhador ia labutar e deixava a raposa brincando com sua filhinha.  


raposa e a crianca 02

Todas as noites, ao retornar da labuta, a raposa ficava feliz com sua chegada. Os vizinhos do lenhador, porém,  alertavam-no e diziam-lhe que a raposa era um bicho, um animal selvagem e,  portanto, não era confiável. Quando ela sentisse fome, devoraria a criança. O lenhador, sempre retrucando com os vizinhos, falava que isso era uma grande bobagem, que a raposa era sua amiga e jamais faria isso. Os vizinhos insistiam:

– Lenhador, abra os olhos! A raposa vai devorar sua filhinha.  Quando sentir fome comerá sua filhinha!

Um dia o lenhador, muito exausto por causa do serviiço pesado, e muito cansado desses comentários, ao chegar em casa, viu a raposa, abanando a cauda, feliz como sempre, saindo do quarto da criança e, ao lado da porta um rastro de sangue. O animal tinha a boca totalmente ensanguentada. O lenhador tremeu, suou frio e, sem pensar duas vezes, acertou uma machadada na cabeça da raposa.

Ao adentrar o quarto, desesperado, encontrou sua filhinha no berço, dormindo tranquilamente, e ao lado do berço uma cobra gigante, morta. O lenhador enterrou o machado e a raposa juntos.  E chorou. Chorou. Chorou muito.

Moral da história:
Se você confia em alguém, não importa o que os outros pensam e dizem a respeito, siga sempre o seu caminho e não se deixe influenciar, mas principalmente seja astuto e nunca tome decisões precipitadas. A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las. Quem vai pela cabeça dos outros é piolho. Não se deixe emprenhar pelos ouvidos.
 

A maior bronca que já presenciei

18/12/2012

A maior bronca que já presenciei

maior bronca 01

Tínhamos uma aula de Fisiologia na
escola de medicina logo após a semana
da Pátria. Como a maioria dos alunos
havia viajado aproveitando o feriado
prolongado, todos estavam ansiosos para
contar as novidades aos colegas e a
excitação era geral.

maior_bronca_02

Um velho professor entrou na sala e
imediatamente percebeu que iria ter
trabalho para conseguir silêncio.
Com grande dose de paciência tentou
começar a aula, mas você acha que
minha turma correspondeu?
Que nada!

maior_bronca_03

Com um certo constrangimento, o professor
tornou a pedir silêncio educadamente.
Não adiantou, ignoramos a solicitação e
continuamos firmes na conversa.
Foi aí que o velho professor perdeu a paciência
e deu a maior bronca que eu já presenciei.
Veja o que disse:

“Prestem atenção porque eu vou falar isso
uma única vez”, disse, levantando a voz e
um silêncio de culpa se instalou em toda a
sala e o professor continuou.

maior_bronca_04

Desde que comecei a lecionar, isso já
faz muitos anos, descobri que nós 
professores, trabalhamos apenas 5% dos
alunos de uma turma. Em todos esses anos
observei que de cada cem alunos, apenas
cinco são realmente aqueles que fazem 
alguma diferença no futuro, apenas cinco
se tornam profissionais brilhantes e contribuem
de forma significativa para melhorar a qualidade
de vida das pessoas.

Os outros 95% servem apenas para fazer
volume. São medíocres e passam pela vida
sem deixar nada de útil.

maior bronca 05

O interessante é que esta porcentagem
vale para todo o mundo. Se vocês prestarem
atenção notarão que de cem professores,
apenas cinco são aqueles que fazem a diferença,
de cem garçons, apenas cinco são excelentes; de
cem motoristas de táxi, apenas cinco são
verdadeiros profissionais; e poderia generalizar
ainda mais; de cem pessoas que chamamos de amigos, apenas cinco são verdadeiramente especiais.

É uma pena muito grande não termos
como separar estes 5% do resto, pois 
se isso fosse possível, eu deixaria apenas 
os alunos especiais nesta sala e colocaria
os demais para fora, então teria o silêncio 
necessário para dar uma boa aula e dormiria
tranqüilo sabendo ter investido nos melhores.

maior_bronca_06

Mas infelizmente não há como saber
quais de vocês são estes alunos.
Só o tempo é capaz de mostrar isso.
Portanto, terei de me conformar e tentar
dar uma aula para os alunos especiais,
apesar da confusão que estará sendo
feita pelo resto.

Claro que cada um de vocês sempre pode
escolher a qual grupo pertencerá. 
Obrigado pela atenção e vamos a aula de hoje.”

maior_bronca_07

Nem preciso dizer o silêncio que ficou na sala e o nível de atenção que o professor conseguiu após aquele discurso. Aliás, a bronca tocou fundo em todos nós, pois minha turma teve um comportamento exemplar em todas as aulas de Fisiologia durante todo o semestre, afinal quem gostaria de espontaneamente ser classificado como fazendo parte do resto? 

Hoje não me lembro de muita coisa das aulas
de Fisiologia, mas a bronca do professor eu
nunca mais esqueci.

maior_bronca_08

Para mim, aquele professor foi um dos 5% que
fizeram a diferença em minha vida. De fato, percebi
que ele tinha razão e, desde então tenho feito tudo
para ficar no grupo dos 5%, mas, como ele disse, 
não há como saber se estamos indo bem ou não, só
o tempo dirá a que grupo pertencemos.

Contudo, uma coisa é certa: se não tentarmos
ser especiais em tudo que fazemos, se não
tentarmos fazer tudo o melhor possível, 
seguramente sobraremos na turma do resto.

TENHA CERTEZA QUE VOCÊ FAZ PARTE DESSES 5% QUE GUARDO NO CORAÇÃO!

 

A história das duas pedras

19/11/2012

A história das duas pedras

duas pedras 01

(Fotos da China)

duas_pedras_02

Uma anedota onde se mostra  a diferença entre

o pensamento lógico direto e o pensamento chamado “lateral” .

duas_pedras_03

Era uma vez, numa pequena aldeia, um lavrador a quem faltava dinheiro para pagar uma dívida vultuosa a um velho extremamente horroroso e antipático.  

duas_pedras_04

Como o lavrador tinha uma filha lindíssima que o usurário cobiçava, este resolveu propor-lhe um novo contrato: 

duas_pedras_05

Propôs-lhe o perdão da dívida se ele lhe desse a filha em casamento. 

duas_pedras_06

Quer o lavrador quer a filha, ficaram estarrecidos com esta proposta. 

duas_pedras_07

Então, o velho usurário mudou um pouco os termos da sua proposta sugerindo que fosse a sorte a determinar se ela iria para a frente ou não.  

duas_pedras_08

Disse-lhes que iria colocar uma pedra branca e uma pedra negra numa sacola vazia.  

duas_pedras_09

A moçoila tiraria uma das pedras à sorte… 

duas_pedras_10

… sem olhar para dentro da sacola.  

 

duas_pedras_11

Se tirasse a pedra negra, casar-se-ia com ele

e a dívida do pai considerar-se-ia saldada. 

duas_pedras_12

Se tirasse a pedra branca, não teria que casar-se com o velho e a divída seria na mesma considerada saldada. 

duas_pedras_13 

Ao contrário, se ela recusasse entrar neste jogo, o pai seria imediatamente levado para a prisão. 

duas_pedras_14

 Sempre a falar, o velho prestamista agachou-se para apanhar as duas pedras. 

duas_pedras_15

 A moçoila, que tinha olho de lince, reparou que…

duas_pedras_16

 … o velho tinha apanhado duas pedras negras e as metera rapidamente dentro da sacola. 

duas_pedras_17

Contudo, nada disse.  

duas_pedras_18

 A seguir, o velho usurário pediu à moça que tirasse uma das pedras de dentro da sacola. 

duas_pedras_19

 Toda esta cena tinha tido lugar num pequeno caminho que levava à porta da casa do lavrador, caminho esse feito de pedras brancas e pretas.

duas_pedras_20

Imagine por um instante o leitor desta história o que é que teria feito para ajudar a filha do lavrador nesta tão delicada situação, se lá estivesse presente.  

duas_pedras_21

 O que é que lhe teria aconselhado? 

duas_pedras_22

 Analisando bem a situação, existem 3 hipóteses : 

duas_pedras_23

 1) A moça deveria recusar-se a tirar a pedra.

duas_pedras_24

 2) A moça deveria tirar as duas pedras pretas da sacola e demonstrar assim que o velho tinha feito batota.

duas_pedras_25

 3)  A moça deveria tirar a inevitável pedra preta e sacrificar-se casando-se com aquele velho repulsivo para evitar a prisão de seu pai. 

duas_pedras_26

 Pare um momento para pensar e reflita na situação. 

duas_pedras_27

duas_pedras_28

 Esta história tem como objetivo permitir-lhe que aprecie…

duas_pedras_29

 … a diferença entre o pensamento lógico direto e o pensamento chamado “lateral”. 

duas_pedras_30

 O dilema da moça parece que não pode resolver-se de maneira equitativa: se aceita a proposta, perde inevitavelmente a sua felicidade; mas se a repudia denunciando a armadilha, o pai vai inevitavelmente parar na prisão.

duas_pedras_31

 Mas isto é assim apenas sob o ponto de vista do pensamento lógico tradicional.  

duas_pedras_32

Pense nas consequências de cada uma das três opções possíveis. 

duas_pedras_33

 Então, o que teria feito? 

duas_pedras_34

Pois bem, eis o que a moça fez:  

duas_pedras_35

 Pense melhor antes de ler a solução… 

duas_pedras_36

duas_pedras_37

 duas_pedras_38

 duas_pedras_39

Ela meteu a mão na sacola e tirou uma das pedras, mas de imediato a deixou cair ao chão sem que ninguém tivesse tido tempo de vê-la, desculpando-se com ar assustado.  

duas_pedras_40

 Esta pedra confundiu-se imediatamente com as centenas de pedras pretas e brancas que formavam o caminho de entrada da casa. 

duas_pedras_41

Ai, que desastrada sou! – exclamou a moça – Como é que isto me aconteceu? 

duas_pedras_42

 Mas não tem importância – prosseguiu rapidamente – Tudo tem solução.

duas_pedras_43

 Pode saber-se que pedra é que tirei, vendo a que ficou na sacola. Porque se a que ficou for branca, é porque tirei a preta e se a que ficou for preta, é porque tirei a branca. Não é assim?

duas_pedras_44

 Pediu ao velho usurário que verificasse qual a pedra que ficara na sacola, se era preta ou branca…

duas_pedras_45

 Por conseguinte, a primera pedra que a moça tirou não podia ser outra senão a branca.

duas_pedras_46

 E como o velho usurário não se atreveu a confessar a batota, …

duas_pedras_47

 … a moça transformou uma situação que parecia impossível …

duas_pedras_48

… num final muito vantajoso !

duas_pedras_49

 duas_pedras_50

 duas_pedras_51

Moral da história :  

duas_pedras_52

 Existe sempre uma solução para os problemas mais complexos …

duas_pedras_53

 O problema  surge quando não sabemos ver as coisas pelo ângulo mais apropriado. 

duas_pedras_54

 O cérebro pode ser preenchido com pensamentos positivos e com decisões sábias !

duas_pedras_55

 duas_pedras_56

 duas_pedras_57

 duas_pedras_58

 LEMBRA-TE! Procura o ângulo apropriado.

duas_pedras_59

ESPERO  QUE TENHAS APRENDIDO ALGO SOBRE O PENSAMENTO EM PERSPECTIVA. 

 

A Fábula da Paz Perfeita

23/12/2014

A Fábula da Paz Perfeita

paz_perfeita

Certa vez um rei teve de escolher entre duas pinturas, qual mais representava a paz perfeita. A primeira era um lago muito tranquilo, este lago era um espelho perfeito onde se refletiam algumas plácidas montanhas que o rodeavam, sobre elas encontrava-se um céu muito azul com nuvens brancas. Todos os que olharam para esta pintura pensaram que ela refletia a paz perfeita.

Já a segunda pintura também tinha montanhas, mas eram escabrosas e não tinham uma só planta, o céu era escuro, tenebroso e dele saíam faíscas de raios e trovões. Tudo isto não era pacífico. Mas, quando o rei observou mais atentamente, reparou que atrás de uma cascata havia um pequeno galho saindo de uma fenda na rocha. Neste galho encontrava-se um ninho. Ali, no meio do ruído da violenta camada de água, estava um passarinho calmamente sentado no seu ninho. Paz Perfeita. O rei escolheu essa segunda pintura e explicou:

“Paz não significa estar num lugar sem ruídos, sem problemas ou sem dor. Paz significa que, apesar de se estar no meio de tudo isso, permanecemos calmos e tranquilos no nosso coração. Este é o verdadeiro significado da paz”.

Fonte: 

http://www.materiaincognita.com.br/o-verdadeiro-significado-da-paz-com-a-calma-no-coracao/#axzz3MjRe79aP

 

A Criação por outro ponto de vista

07/09/2012

A Criação por outro ponto de vista

Ótimo! Nunca ouvi a história bíblica da criação explicada de forma tão clara!!!

No início, Deus criou o Céu e a Terra, e povoou a Terra com brócolis, couveflores e espinafres, verdes e amarelos, e vegetais vermelhos de todos os tipos, para que o Homem e a Mulher tivessem vida longa e saudável.

Então, usando os dons que Deus havia lhe poupado, Satanás criou os sorvetes cremosos da Parmalat e da Häagen-Dazs. E Satanás disse: “Vocês querem que eu acrescente calda de chocolate?” E o Homem disse: “Sim!” e a Mulher completou: “Polvilhe também com granulados doces!” E eles engordaram cinco quilos. E Satanás sorriu.

E Deus criou o yogurte saudável para que a Mulher recuperasse a silhueta que o Homem tanto apreciava. E Satanás obteve farinha do trigo e açúcar da cana e os combinou na forma de bolos e massas. E a Mulher passou de tamanho P para Extra GG.

Então Deus disse: “Saboreiem uma fresca salada verde!”. E Satanás apresentou dezenas de molhos, maioneses, torradas com manteiga e com leve sabor de alho como complemento. E o Homem e a Mulher tiveram que desabotoar os cintos depois do almoço.

Então Deus disse: “Eu criei para vocês, para proteger seu coração, vegetais saudáveis e azeite de oliva”. E Satanás preparou bifes à milanesa, frango à passarinho e polenta frita, em tamanha quantidade que eles precisaram de pratos de maior tamanho. E o Homem aumentou de peso e seu colesterol atingiu níveis perigosos.

Então Deus criou doces light., coloridos e fofos, chamados “Sobremesa de Gelatina”. E Satanás criou um doce fofo, escuro, e o chamou “Bolo de Chocolate Brigadeiro”.

Então Deus criou um tipo de sapato chamado “tênis para caminhada” de forma que seus filhos pudessem perder alguns quilos extras. E Satanás produziu a TV a cabo e o controle remoto para que eles não precisassem levantar-se para mudar de canal. E o Homem e a Mulher riram e choraram frente à tela com luz azulada, e aumentaram de peso.

Então Deus criou a batata, naturalmente livre de gordura, fornecedora de nutrição e energia. E Satanás tirou a fina e saudável pele da batata, cortou a batata em tiras e fatias finas e a transformou em tiras de batata frita e chips salgados. E o Homem aumentou de peso.

Deus então criou a carne magra grelhada, de forma que o Homem pudesse consumir poucas calorias e satisfazer seu apetite. E disse: “Isto é bom!” E Satanás criou a rede de McDonald’s e seus cheeseburgers gigantes duplos. Então ele disse ao Homem: “Você quer o acompanhamento com fritas?” E o Homem respondeu: “Sim! E na embalagem grande!” E Satanás disse: “Isto é bom!”. E o Homem teve uma parada cardíaca.

Então Deus suspirou e criou o marcapasso e a cirurgia para inserção de stents nas artérias.

Então Satanás criou o Sistema Único de Saúde – SUS.

Amem!

Adaptado de “The Creation”

Autor desconhecido

 

A história das duas pedras

duas pedras 01
(Fotos da China)

duas_pedras_02

Uma anedota onde se mostra a diferença entre

o pensamento lógico direto e o pensamento chamado “lateral” .

duas_pedras_03

Era uma vez, numa pequena aldeia, um lavrador a quem faltava dinheiro para pagar uma dívida vultuosa a um velho extremamente horroroso e antipático.

duas_pedras_04

Como o lavrador tinha uma filha lindíssima que o usurário cobiçava, este resolveu propor-lhe um novo contrato:

duas_pedras_05

Propôs-lhe o perdão da dívida se ele lhe desse a filha em casamento.

duas_pedras_06

Quer o lavrador quer a filha, ficaram estarrecidos com esta proposta.

duas_pedras_07

Então, o velho usurário mudou um pouco os termos da sua proposta sugerindo que fosse a sorte a determinar se ela iria para a frente ou não.

duas_pedras_08

Disse-lhes que iria colocar uma pedra branca e uma pedra negra numa sacola vazia.

duas_pedras_09

A moçoila tiraria uma das pedras à sorte…

duas_pedras_10

… sem olhar para dentro da sacola.

duas_pedras_11

Se tirasse a pedra negra, casar-se-ia com ele

e a dívida do pai considerar-se-ia saldada.

duas_pedras_12

Se tirasse a pedra branca, não teria que casar-se com o velho e a divída seria na mesma considerada saldada.

duas_pedras_13

Ao contrário, se ela recusasse entrar neste jogo, o pai seria imediatamente levado para a prisão.

duas_pedras_14

Sempre a falar, o velho prestamista agachou-se para apanhar as duas pedras.

duas_pedras_15

A moçoila, que tinha olho de lince, reparou que…

duas_pedras_16

… o velho tinha apanhado duas pedras negras e as metera rapidamente dentro da sacola.

duas_pedras_17

Contudo, nada disse.

duas_pedras_18

A seguir, o velho usurário pediu à moça que tirasse uma das pedras de dentro da sacola.

duas_pedras_19

Toda esta cena tinha tido lugar num pequeno caminho que levava à porta da casa do lavrador, caminho esse feito de pedras brancas e pretas.

duas_pedras_20

Imagine por um instante o leitor desta história o que é que teria feito para ajudar a filha do lavrador nesta tão delicada situação, se lá estivesse presente.

duas_pedras_21

O que é que lhe teria aconselhado?

duas_pedras_22

Analisando bem a situação, existem 3 hipóteses :

duas_pedras_23

1) A moça deveria recusar-se a tirar a pedra.

duas_pedras_24

2) A moça deveria tirar as duas pedras pretas da sacola e demonstrar assim que o velho tinha feito batota.

duas_pedras_25

3) A moça deveria tirar a inevitável pedra preta e sacrificar-se casando-se com aquele velho repulsivo para evitar a prisão de seu pai.

duas_pedras_26

Pare um momento para pensar e reflita na situação.

duas_pedras_27

duas_pedras_28

Esta história tem como objetivo permitir-lhe que aprecie…

duas_pedras_29

… a diferença entre o pensamento lógico direto e o pensamento chamado “lateral”.

duas_pedras_30

O dilema da moça parece que não pode resolver-se de maneira equitativa: se aceita a proposta, perde inevitavelmente a sua felicidade; mas se a repudia denunciando a armadilha, o pai vai inevitavelmente parar na prisão.

duas_pedras_31

Mas isto é assim apenas sob o ponto de vista do pensamento lógico tradicional.

duas_pedras_32

Pense nas consequências de cada uma das três opções possíveis.

duas_pedras_33

Então, o que teria feito?

duas_pedras_34

Pois bem, eis o que a moça fez:

duas_pedras_35

Pense melhor antes de ler a solução…

duas_pedras_36

duas_pedras_37

duas_pedras_38

duas_pedras_39

Ela meteu a mão na sacola e tirou uma das pedras, mas de imediato a deixou cair ao chão sem que ninguém tivesse tido tempo de vê-la, desculpando-se com ar assustado.

duas_pedras_40

Esta pedra confundiu-se imediatamente com as centenas de pedras pretas e brancas que formavam o caminho de entrada da casa.

duas_pedras_41

Ai, que desastrada sou! – exclamou a moça – Como é que isto me aconteceu?

duas_pedras_42

Mas não tem importância – prosseguiu rapidamente – Tudo tem solução.

duas_pedras_43

Pode saber-se que pedra é que tirei, vendo a que ficou na sacola. Porque se a que ficou for branca, é porque tirei a preta e se a que ficou for preta, é porque tirei a branca. Não é assim?

duas_pedras_44

Pediu ao velho usurário que verificasse qual a pedra que ficara na sacola, se era preta ou branca…

duas_pedras_45

Por conseguinte, a primera pedra que a moça tirou não podia ser outra senão a branca.

duas_pedras_46

E como o velho usurário não se atreveu a confessar a batota, …

duas_pedras_47

… a moça transformou uma situação que parecia impossível …

duas_pedras_48

… num final muito vantajoso !

duas_pedras_49

duas_pedras_50

duas_pedras_51

Moral da história :

duas_pedras_52

Existe sempre uma solução para os problemas mais complexos …

duas_pedras_53

O problema surge quando não sabemos ver as coisas pelo ângulo mais apropriado.

duas_pedras_54

O cérebro pode ser preenchido com pensamentos positivos e com decisões sábias !

duas_pedras_55

duas_pedras_56

duas_pedras_57

duas_pedras_58

LEMBRA-TE! Procura o ângulo apropriado.

duas_pedras_59

ESPERO QUE TENHAS APRENDIDO ALGO SOBRE O PENSAMENTO EM PERSPECTIVA.

Charge interessante e inspirada

charge-interessante-e-inspirada

Em referência ao Gênesis e como INRI CRISTO sempre diz:

“A Bíblia é um livro de letras mortas, repleto de lendas, fábulas, parábolas, metáforas e até charadas; só ao ser humano inspirado pelo ALTÍSSIMO é facultado compreender o enigma das Sagradas Escrituras e decifrar seus mistérios”.