Parábola das PARÁBOLAS

Preâmbulo

            Os lobos uivam, os corvos se agitam… os ossos se decompõem, os vermes vorazmente devoram as carnes, os olhos dão as últimas miradas, piscando antes de exaurir; os cabelos diluídos fenecem pela ação do tempo; os corpos, desvanescendo, liberando um líquido odorento, deixam de formar o conjunto, a silhueta, o expectro que identifica os humanóides, mortos vivos  que vibram contra o reino de DEUS.  E INRI CRISTO, o Primogênito de DEUS, continua a inexorável marcha em direção a consolidação do Reino de DEUD sobre a Terra. A justiça divina resplandecerá.           

Assim falou INRI CRISTO:

“Meus filhos, por fazerdes parte do movimento pró-consolidação do meu reino de luz formalizado pela SOUST, tereis de lutar muito contra os militantes do principado das trevas. Pois vós, por haverdes sido convocados para cumprir tão importante missão, sois assediados pelos lacaios de belzebu, que tentam de todas as formas manipular-vos e inculcar em vossa cabeça toda sorte de verborréias e sandices contra o reino de DEUS, injuriando o Primogênito de DEUS que vos fala, para que, alcançando o nefasto propósito de vos envenenar contra mim, não possais cumprir a sublime missão para a qual retornastes a este mundo.

Por isto, meus filhos, vos ensino por parábolas no afã de que através delas vos seja facultado o dom da compreensão dos mistérios da lei divina.

Deveis usar estas parábolas como armas para derrotar os inimigos quando vierem vos assediar ou atormentar. Cada parábola, cada circular carrega em seu bojo antídotos contra o veneno dos inimigos. Todavia, só podereis vencer decifrando e identificando o precioso valor da munição, assimilando palavra por palavra os ensinamentos que meu PAI me revelou. A fim de que a assimilação se viabilize, é mister que sejam lidas e relidas muitas vezes cada parábola e cada circular, pois é na perseverante leitura, com o espírito alerta, que aprendereis a manusear estas armas.

Para cada caso existe uma parábola; para cada agressão, uma reação defensiva garantindo a integridade e o equilíbrio do sistema neuronial. Assim sendo, se o inimigo tentar fazer um mundinho de negatividade no vosso canal de pensamento, induzindo-vos a julgar e até a me odiar, lembrai-vos de que, há quase dois mil anos, foi através de calúnias, injúrias e blasfêmias que coagiram Pôncio Pilatos a decretar o veredicto da crucificação. Só por obediência a meu PAI e muito amor a vós, meus filhos, estou aqui uma vez mais enfrentando todas as vicissitudes, consequência destas calúnias, mentiras, injúrias e difamações, que nada mais são do que grunhidos de porcos e latidos de cães que, disfarçados de humanos, se dizem crentes, evangélicos e cristãos, quando em verdade são capachos do kajowo (satã). Porque vos amo vos tenho brindado da parte de meu PAI com este arsenal de parábolas e circulares que não se constituem num mero conjunto de palavras bonitas e sim em fragmentos da lei divina.

Toda vez que o kajowo (demônio) vem insinuar que eu sou muito autoritário, lembrai-vos:  o ALTÍSSIMO, meu PAI, que é vosso PAI, meu DEUS, que é vosso DEUS, único ser incriado, único ser digno de adoração e veneração, é autoritário. Obediente a Ele voltei sem livre arbítrio a este mundo para iluminar a humanidade e ensinar aos meus filhos, autênticos cristãos, a eterna lei divina.

As parábolas são ensinamentos vivos ministrados por Ele, meu PAI, para que possais caminhar com segurança na terra, levando em vosso interior, além da convicção de minha identidade, a sabedoria, tornando-vos dignos de serdes chamados de filhos de DEUS (João c.1 v.12).

Muitos só compreenderão tarde, tarde demais o significado destes ensinamentos, que objetivam tão somente instruir, proteger e iluminar, complementando o que eu adverti antes da crucificação: “Orai e vigiai que ninguém vos engane; falsos cristos, falsos profetas virão em meu nome, farão prodígios, enganarão a muitos, até os eleitos se possível fosse” (Mateus c.24 v.5 e 24). Ao contrário dos falsos profetas, que ululam nas esquinas e nos templos farisáicos o meu nome antigo (Jesus): “Aleluia! O sangue de Jesus tem poder!”, meu PAI reenviou-me com meu novo nome, INRI, cumprindo o que está escrito em Apocalipse c.3 v.12; INRI é o nome que paguei com meu sangue na cruz. E, além de me haver reenviado com a mesma face, a mesma silhueta e a mesma voz, meu PAI, SENHOR e DEUS, que é em mim, vos ensina por parábolas, propiciando a distinção: “Quando ouvirdes falar de guerras, rumores de guerras, reino contra reino, nação contra nação, terremotos, inundações, tempestades, pestilências, fomes, sabei que é apenas o princípio das dores”(Mateus c.24 v.6 a 8).

Hão de me perguntar novamente: “Sendo tão difícil de se coadunar com a lei divina e havendo tantos inimigos e obstáculos para se entrar no reino de DEUS, quem se salvará então, SENHOR?” E as circunstâncias me obrigarão a responder de novo: “…o que perseverar até o fim, esse será salvo…” (Mateus c.24 v.13). Faze a tua parte que eu te ajudarei…”

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *