A BUSCA – Felicidade, Alegria, Gozo

“Buscai, pois, em primeiro lugar, o Reino de DEUS e a sua justiça, e todas as outras coisas vos serão dadas por acréscimo” (Mateus c.6 v.33).

Assim falou INRI CRISTO:

“O Reino de DEUS está entre vós (Lucas c.17 v.20 e 21), porque ele começa no meu corpo e se estende no corpo de cada um de vós que, levando em consideração as minhas palavras, acatar a lei divina. Para que sejais felizes, tereis que vos livrar dos sentimentos mesquinhos, da inveja, da ambição ao alheio, dos vícios, da fornicação… e com a pureza de uma criança podereis viver no Reino de DEUS, como eu disse antes da crucificação: “Deixai vir a mim as crianças, não as embaraceis, porque dos que são como elas é o Reino de DEUS. Em verdade vos digo: Todo o que não receber o Reino de DEUS como um menino não entrará nele” (Marcos c.10 v.14 e 15). Mesmo em sendo adultos deveis manter-vos puros como uma criancinha para encontrardes a felicidade que tanto buscais.

Depois de o ser humano procurar a felicidade, o gozo, a alegria nas noites de orgias, nas danceterias, nas boates, nas festas, na luxúria, nas alcovas sodomistas e gomorrentas, nos templos farisaicos (igrejas dos falsos profetas), etc., tornando-se escravo fanático, onde, ao final, emboscado, quando desperta, na maioria das vezes tarde demais, entre gemidos de dores, convulsões, angústias, decepções, frustrações, desilusões… após haver até rastejado como uma minhoca, um réptil, atrás de obscuros objetos de gozo e de falsos amores, descobre que dores e alegrias, vãos prazeres, tudo é nada, cessa a busca e vislumbra, entre lágrimas e sorrisos, que o verdadeiro amor, o verdadeiro gozo, o paraíso adormecia em seu interior. Estabelece, então, uma simbiose com meu PAI, SENHOR e DEUS, que é o SENHOR da vida e do gozo e transforma-se num ser reluzente que irradia amor e felicidade, de cujas vibrações emana o perfume do Éden.

A Bíblia não relata onde estive dos treze aos trinta anos e só eu posso dizer. Dos treze aos trinta anos, eu comi manteiga e mel até aprender a separar o mal do bem, cumprindo a profecia enunciada por Isaías. “Pois por isso o mesmo SENHOR vos dará este sinal: Uma virgem conceberá e dará à luz um filho e o seu nome será Emanuel. Ele comerá manteiga e mel, até que saiba rejeitar o mal e escolher o bem” (Isaías c.7 v.14 e 15). “Comer manteiga e mel” significa experimentar os pecados do mundo, até vencer o mundo. Por haver sido levado por meu PAI, sem livre arbítrio, a me enlamear no brejo dos pecados do mundo, aprendendo na carne a decifrar os enigmas do maligno que leva os seres humanos a pecar, é que insisti que João me batizasse a fim de, com a água, limpar-me das impurezas (Mateus c.3 v.13 a 15). E, neste século, até 1979, encoberto por um pseudônimo, sem livre arbítrio eu também buscava a felicidade nas alcovas, nos bares, nos cabarés, enfim, em todos os recintos ilusórios do mundo profano (“Virei a ti como um ladrão e não saberás a que hora virei a ti” – Apocalipse c.3 v.3). Só depois do batismo e do jejum em Santiago do Chile é que fiquei sabendo que a verdadeira felicidade, o verdadeiro gozo, só é possível estabelecendo a simbiose com DEUS. Neste século, o SENHOR DEUS, meu PAI, não anunciou através de nenhum profeta a minha volta, porque eu mesmo, na última ceia com os discípulos, anunciei: “E digo-vos: Desta hora em diante não beberei mais deste fruto da videira até aquele dia, em que o beberei de novo convosco no reino de meu PAI” (Mateus c.26 v.29). E Ele, o ALTÍSSIMO, imprimiu no lençol que envolvia meu corpo no sepulcro (Sudário) a minha face e inspirou os artistas a fim de que descrevessem, através da arte, a minha silhueta, a minha imagem e, até por canções, anunciassem a minha volta (ouvir a música “O Homem” composta por Erasmo e Roberto Carlos…)

O rei Salomão, equivocado, disse que é necessário, para ser feliz, a associação (Eclesiastes c.4 v.9 a 11) e saiu em busca de um adjutório, encontrando no caminho a mulher que o levou à escravidão da idolatria. Desceu do pedestal do trono de rei para ser lacaio do príncipe das trevas, adorador de ídolos, separando-se temporariamente de DEUS (Reis c.11 v.3 a 11).

Não existe paraíso sem DEUS, felicidade sem Ele é uma quimera, uma mera ilusão.

Hipócrita! Ama-te primeiro! Ninguém pode ser feliz enquanto não se amar, pois só os que se amam, amam e podem amar e transmitir amor. Amar é dar tudo sem nada exigir em troca.

Só quem se ama pode gerar, irradiar amor e ser amado, transformado em templo de DEUS.

Quando se está feliz interiormente não importando onde se esteja, até mesmo na cela de uma prisão é possível sentir-se feliz e fazer outros felizes.

Se a felicidade está dentro do ser humano, tudo que fizer, tudo que falar, onde estiver, atrairá a felicidade; os espíritos de luz, emissários do amor, de acordo com a lei da atração, se aproximarão. (“Porque ao que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundância; mas ao que não tem, tirar-se-lhe-á até o que julga ter” – Mateus c.25 v.29).”

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *