A humanidade precisa saber…

Livre-se da alienação dos dogmas mantendo-se bem informado.

“Conhecereis a verdade e a verdade vos tornará livres” (João c.8 v.32).

INRI CRISTO é reconhecido pelas autoridades terrestres…
– após sobrepujar um processo de falsidade ideológica na Justiça Federal que se arrastou por quinze anos, INRI CRISTO obteve o reconhecimento oficial de sua identidade pelas autoridades terrestres. Em 24/10/2000, o Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Paraná expediu um venerando acórdão determinando que conste seu novo nome, INRI CRISTO, em todos os seus documentos (passaporte, identidade, CPF, etc.). INRI é o nome que lhe custou o preço do sangue na cruz. Significa, em latim, Iesus Nazarenus Rex Iudaeorum (Jesus Nazareno, Rei dos Judeus); em hebraico, Iammim Nour Rouahh Iabescheh (fogo, terra, água e ar); outrossim quer dizer Igne Natura Renovatur Integra: pelo fogo a natureza se renova (“Ao que vencer… escreverei sobre ele o nome de meu DEUS… e também o meu novo nome” – Apocalipse c.3 v.12) e CRISTO, na tradução do grego, quer dizer “o ungido”, no singular (leia a história jurídica de INRI CRISTO completa no livro O Tempo).

INRI é submetido à análise de psiquiatras…
– por ocasião do Ato Libertário perpetrado por INRI CRISTO no interior da catedral de Belém do Pará no histórico 28/02/1982, uma junta psiquiátrica nomeada oficialmente pelo juiz Dr. Jaime dos Santos Rocha examinou-o e disse que, conforme perspectivas otimistas, só poderiam concluir um laudo sobre o Filho de DEUS no dia do Juízo final, alegando que ele atua numa esfera intelectual superior considerada atípica (conforme registrou o jornal O Liberal, arquivado na SOUST).

A Rede Globo registrou o Ato Libertário, porém escondeu-o do povo brasileiro…
– uma equipe do programa Fantástico da Rede Globo, especialmente organizada no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, deslocou-se até Belém do Pará no afã de registrar todos os momentos da revolução perpetrada por INRI CRISTO, a saber: a entrada com o povo na catedral, o flagrante do Ato Libertário, a chegada dos policias, a detenção de INRI CRISTO, os depoimentos dos presidiários, o parecer das autoridades, as visitas dos belenenses que se dirigiam diariamente ao presídio em busca de bênçãos, a saída triunfal da prisão após quinze dias de reclusão sem anuência de advogados, etc. Não obstante, vilipendiando o sagrado direito do povo brasileiro de conhecer a verdade e demonstrando que democracia e liberdade de imprensa no Brasil são uma utopia, a emissora mostrou tão somente o momento da detenção de INRI CRISTO. Por sua vez, a “investigativa” revista Veja (edição 10/03/1982) contentou-se em exibir uma matéria caluniosa de um free-lance.

INRI CRISTO rompe o vínculo bimilenar com sua antiga igreja…
– o histórico 28/02/1982 marcou o rompimento do vínculo de INRI CRISTO com o que restara de sua antiga igreja, a romana, anulando o efeito das palavras ditas a Pedro: “Pedro, tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mateus c.16 v.18). Como ele disse no singular, todas as outras igrejas ditas cristãs carecem de legitimidade e origem histórica. E porque as portas do inferno começaram a prevalecer no seio da meretriz do Apocalipse c.17 (Inquisição, comércio religioso, venda de indulgências, sacramentos, etc., pedofilia, devassidão moral, conchavos políticos com déspotas ditadores sanguinários…), ela foi declarada proscrita pelo ALTÍSSIMO, e em seu lugar nasceu a Nova Ordem Católica, SOUST, que veio dar continuidade à Seita do Nazareno (como era conhecida a igreja cristã em seus primórdios), preservando os puros ensinamentos deixados pelo Filho de DEUS antes de ser crucificado.